NERVOSA

Promovendo “Jailbreak”, sucessor do aclamado “Perpetual Chaos” (2021), o novo álbum da Nervosa marca a estreia da guitarrista fundadora Prika Amaral como vocalista permanente e apresenta Helena Kotina como segunda guitarrista, além de ter Hel Pyre no baixo e Gabriella Abud na bateria. Mantendo o estilo calcado no thrash e death metal, o novo álbum destacou os singles “Endless Ambition”, “Seed of Death” e “Jailbreak”.

“Com duas guitarras, as portas se abrem para um mundo totalmente novo de possibilidades. Na verdade, a Nervosa tinha duas guitarras no início, mas depois decidimos seguir com uma guitarra por razões logísticas, já que seria mais fácil nos deslocarmos com uma pessoa a menos nas turnês. Agora, a Nervosa tem uma estrutura muito maior que permitiu essa adição, e estamos realmente curtindo este momento da banda. O processo de composição deste álbum foi o mais divertido e trouxe mais musicalidade, enriquecendo a banda”, comentou Prika.

Criada por Prika e a baterista Fernanda Terra em 2010, e já com Fernanda Lira (atual Crypta) no vocal e baixo, a banda gravou a demo “Time of Death” em 2012 e soltou o videoclipe de “Masked Betrayer”. Com Schmier (Destruction) como incentivador, atraiu a atenção da gravadora austríaca Napalm Records. “A história da Nervosa começou em 2010, quando eu tinha uma banda chamada Inner Voices e estava procurando baterista. Um amigo indicou a Fernanda Terra”, recordou a guitarrista certa vez à revista Roadie Crew.

Até chegar à formação atual, a Nervosa soltou os álbuns “Victim of Yourself” (2014), “Agony” (2016), “Downfall of Mankind” (2018) e “Perpetual Chaos” (2021), e passou por diversas mudanças, tendo a presença da guitarrista Karen Ramos, das bateristas Fernanda Terra, Jully Lee, Pitchu Ferraz, Luana Dametto, Eleni Nota, Nanu Villalba e Michaela Naydenova; a vocalista Diva Satanica e a baixista Mia Wallace, além de Fernanda Lira. “Desde a primeira formação, todas as meninas que passaram pela banda contribuíram para isso. Todas ajudaram a fortalecer o nome Nervosa, que se tornou muito forte. E, a partir desse legado, ficou mais fácil conseguir meninas incríveis para entrarem no barco e deixarem tudo para trás”, declarou Prika.

A banda agora pretende manter a boa fase obtida com “Perpetual Chaos”, que não apenas garantiu suas primeiras posições nas paradas, mas também foi capaz de levá-la a se apresentar nos maiores festivais da Europa, como Summer Breeze, Copenhell, Resurrection, MetalDays, Wacken Open Air e outros. E em 2024 será a vez de marcar presença no Summer Breeze Open Air Brasil! “Minha vida é música e poder estar na estrada o máximo possível é a melhor coisa”, concluiu Prika.

plugins premium WordPress