cropped-logo_summer_com_efeito.png

Testament

Release

A sexta passagem da banda americana de thrash metal Testament pelo Brasil terá um atrativo a mais, pois a participação no Summer Breeze contará com a presença do baterista Dave Lombardo (ex-Slayer), que retornou para o grupo no posto que era ocupado por Gene Hoglan. Atualmente promovendo o álbum “Titans of Creation” (2020), Chuck Billy (vocal), Eric Peterson e Alex Skolnick (guitarras), Steve Di Giorgio (baixo) e Lombardo mostrarão por que o Testament é considerado uma das maiores lendas do thrash metal em todos os tempos.

 

Com treze álbuns de estúdio, coletâneas e diversos EPs, o Testament surgiu em meados de 1983 na Bay Area de São Francisco, ainda sob o nome Legacy, lançado a Demo-Tape, “Demo: 1”, em 1985. A impressão foi das melhores, mas em 1986 o vocalista Steve “Zetro” Souza seguiu carreira com o Exodus em substituição ao saudoso Paul Ballof. Com isso, o Legacy passou a adotar o nome Testament, iniciando os trabalhos para o disco de estreia, “The Legacy”, com o vocalista Chuck Billy.

 

“The Legacy” saiu em 1987 e foi muito bem recebido pelos ‘thrashers’ e pela mídia especializada, que naquele ano apontou o Testament como “banda revelação”. A turnê rendeu o lançamento do EP ao vivo “Live at Eindhoven”, gravado no festival “Dynamo”, na Holanda. No ano seguinte, saiu “The New Order”, álbum que foi capaz de elevar o status de “banda revelação” para um dos maiores nomes do thrash metal.

 

Em 1989, com “Practice What You Preach”, os músicos seguiam tendo como base o thrash, mas procuraram explorar mais o lado melódico, começando a exaltar a virtuose de Skolnick. Deu certo, pois as vendas passaram de 400 mil cópias e a banda realizou uma turnê ao lado de Judas Priest, Megadeth, Voivod e Anthrax, além de passar pela primeira vez pelo Brasil. No entanto, um sucesso comercial ainda maior veio no ano seguinte com “Souls of Black”, que coincidiu com a turnê “Clash of the Titans”, ao lado do Slayer, Megadeth e Suicidal Tendencies.

 

O ápice do lado virtuoso veio com “The Ritual” (1992), mas, após a turnê, Skolnick, que demonstrava interesse em criar música instrumental tocando jazz rock, resolveu sair e, pouco tempo depois, acabou integrando o Savatage no lugar do falecido Criss Oliva. Esta, no entanto, não foi a única perda, já que o baterista Louie Clemente também saiu. Assim, para o EP “Return To Apocalyptic City” (1993), o Testament contou com o guitarrista Glen Alvelais (ex-Forbidden) e o baterista Paul Bostaph (ex-Forbidden, Slayer), que substituiu temporariamente Clemente. Para o álbum seguinte, “Low”, o line-up foi efetivado com James Murphy (ex-Death, Obituary, Disincarnate, Cancer) no lugar de Alvelais, e John Tempesta (ex-Exodus) na bateria. O grande sucesso foi a faixa-título, mas as músicas mais agressivas, como “Dog Faced Gods”, mostraram uma nova faceta, que mais tarde seria o padrão para o álbum “Demonic” (1997).

 

A coletânea “Signs of Chaos” (1997) veio junto com mais mudanças, mas o line-up de estrelas acabou por ser formado em 1999 para o lançamento do cultuado “The Gathering”, que contou, além de Chuck Billy e Eric Peterson, com o baterista Dave Lombardo (Slayer) e o baixista Steve DiGiorgio (ex-Death, Control Denied, Sadus), além do retorno de James Murphy.

 

No final da turnê uma triste notícia chocou os fãs em março de 2001: Chuck Billy sofria de câncer. Tempos depois, apesar da gravidade da doença, o vocalista afirmou que sua saúde estava sob controle. No mesmo ano, ocorreu o lançamento de “First Strike Still Deadly”, com a regravação de alguns dos clássicos da banda, tendo até Steve Souza como convidado.

 

Algum tempo depois, a banda iniciou os trabalhos de mais álbum, contando com Paul Bostaph na bateria e Mike Chlasciak (Halford) na guitarra, mas a notícia do retorno do line-up original pegou os fãs de surpresa e a “Reunion Tour” passou a ser uma das mais concorridas. Porém, o grupo só viria a lançar um disco novo em 2008, com “The Formation of Damnation”. Na sequência, vieram “Dark Roots of Earth” (2012), “Brotherhood of the Snake” (2016) até o mais recente, “Titans of Creation” (2020).

 

Em seus shows, o Testament costuma apresentar faixas mais recentes e os grandes clássicos, como “Into the Pit”, “Practice What You Preach”, “The New Order”, “Electric Crown”, “First Strike Is Deadly” e “Over the Wall”.

 

DISCOGRAFIA:

The Legacy (1987)

Live At Eindhoven (1987, EP ao vivo)

The New Order (1988)

Practice What You Preach (1989)

Souls of Black (1990)

The Ritual (1992)

Return to the Apocalyptic City (1993, EP ao vivo)

Low (1994)

Live at the Filmore (1995, EP ao vivo)

Demonic (1997)

The Gathering (1999)

First Strike Still Deadly (2001)

The Formation of Damnation (2008)

Dark Roots of Earth (2012)

Brotherhood of the Snake (2016)

Titans of Creation (2020)

 

Site oficial: www.testamentlegions.com

Instagram: www.instagram.com/testamentofficial/

Facebook: www.facebook.com/testamentlegions

APRESENTA

cropped-logo_summer_com_efeito.png

Patrocinadores Master

cropped-logo_summer_com_efeito.png

Patrocinadores

cropped-logo_summer_com_efeito.png

Apoio

1

Media Partners

Receba novidades
em primeira mão

Copyrights

Summer Breeze Open Air Festival Brazil Eventos Ltda